mercoledì 4 giugno 2014

Querido Brasil...

Querido Brasil...
O que eu posso dizer?
Não acredito que esse dia chegou, o meu último dia nesse país maravilhoso, que desde o começo me encantou com as suas belezas, as suas diferenças, a sua cultura...TUDO! Não acredito mesmo que chegou a hora de eu ir embora, parece ontem que embarquei no avião para vira pra cá, não estou pronta ainda para voltar...
EU.
NÃO.
QUERO.
VOLTAR.
NÃO AGORA.
Nessa situação as únicas palavras que consigo pensar e dizer não são minhas, mas do meu cantor brasileiro favorido, Renato Russo, que numa música dele cantava... “E eu dizia: ainda é cedo, cedo, cedo, cedo, cedo...”
Isso é incrível porque até pouco tempo atrás nunca teria imaginado que esse dia iria chegar, mas, como qualquer dia, chegou, e eu não quero ir embora.
Mas por qué não quero ir embora?
Muita gente já me perguntou isso...como “você não tem saudade da Itália?”. E eu sempre respondo do mesmo jeito...estou com um pouco de saudade sim, mas na verdade não é muita porque voltando pra lá eu deveria deixar aqui no Brasil toda a vida que eu, sozinha, nesses dez meses construi, e isso me apavora, não me faz dormir de noite, me faz chorar, me deixa mal...
É muito dificil, só pessoas que fizeram intercâmbio ou que passaram por situações parecidas podem entender...é como se o nosso coração fosse uma moeda, com duas facetas: uma quer voltar, e a outra quer ficar (“Dechirée, je suis une femme partagée, dechirée, entre deux pays que j'aime, entre deux pays qui m'aiment, faut-il que je me coupe le cœur em deux?”). Me parece tão extranho...eu não quero voltar deixando pra sempre, ou por muito tempo, tudo aquilo que construi com a força dos meus braços e da minha força de vontade. Pelo menos já tenho a certeza do que voltarei um dia...mas o pior é que não sei quando; aqui no Brasil encontrei uma família fantástica, conheci pessoas maravilhosas que me deixaram mais e mais rica, no sentido mental e com as quais eu cresci muito como pessoa: talvez agora ainda não percebo muito isso, mas eu sei que mudei...e sei que quando eu voltar, vou perceber isso ainda mais.
Querido Brasil, queria te agradecer por me ter deixado viver uma vida intera em dez meses no teu solo, na linda Curitiba, me ter feito fazer coisas que eu nunca fiz até aquela hora, viver experiências únicas, e muito mais...
OBRIGADA BRASIL, por todas as pessoas maravilhosas que teve a honra de conhecer, a minha família hospedeira, ou seja, a minha segunda família, os colégas da minha primeira turma (não teve a oportunidade de me despedir de vocês, mas saibam que eu adorei passar aqueles seis meses com vocês, aprender o português, e passar muitos momentos lindos juntos), todos os professores, e os colégas da segunda turma. Pra eles queria fazer um agradecimento amais. Galera linda, queria agradecê-los por tudo, por cada coisa que aconteceu nesses quatro meses passados juntos, por tê-los conhecidos, por todas as risadas e as zueiras, por todas as conversas, por cada coisa, também a menorzinha, que econteceu naquela sala. EU NUNCA VOU ESQUECER VOCÊS, SÓ UM LOUCO SERIA CAPAZ, eu sou meio louca mas nunca vou esquecer isso!

Agora chegou a hora de eu ir embora, querido Brasil, eu não queria ir, mas devo...mesmo contra a minha vontade, esses meses foram absurdos, incríveis, fantásticos, INESQUECÍVEIS. A mala estáolhando pra mim, tanto como a caixa que vou despachar e a mochila...por quantas aventuras passamos!
Eu não quero ir embora, repeti isso umas mil vezes ao longo dessa “carta”, e agora chegou o momento de terminá-la agradecendo-te mais uma vez por tudo aquilo que me aconteceu aqui.

OBRIGADA BRASIL!!

I don't know where I'm going
But I sure know where I've been
Hanging on the promises in songs of yesterday
And I've made up my mind
I ain't wasting no more time
HERE I GO AGAIN.”


Dianella.

Nessun commento:

Posta un commento